fbpx

O “Poder da Simplicidade”: mudança de mindset e desenvolvimento de soft skills

O novo mundo do trabalho demanda do profissional o desenvolvimento de novas habilidades, pois estamos na Era da Inteligência Artificial e da Inteligência Emocional. É um mundo cada vez mais tech e ao mesmo tempo touch.

Uma pesquisa da Gallup realizada no Brasil chegou a conclusão que 72% dos profissionais estão infelizes e sem entusiasmo, o que impacta negativamente nos resultados de suas carreiras e das empresas. As principais causas dessa infelicidade são: gestão por conflito, liderança comando e controle e a falta de um propósito, ou seja, de um sentido no que se faz.

Fortalecer o autoconhecimento e identificar o propósito é importante trilha para tomar consciência de si mesmo, se relacionar melhor e entender o sentido de seu papel no mundo do trabalho.  Já passou a época em que um currículo ou um diploma definia se o profissional era bom ou não. Atualmente, pelo fato de a concorrência ser cada vez maior para aqueles que buscam uma qualificação profissional, surgiu um novo conceito: as ‘soft skills’, ou seja, as habilidades “não-técnicas” – competências pessoais e sociais. Entre elas, estão: resiliência, colaboração, empatia, comunicação, liderança, inteligência emocional, flexibilidade, entre outras. No momento em que essas habilidades são acionadas, torna-se mais fácil o profissional desenvolver as suas tarefas no trabalho.

Nesse contexto é também essencial que o líder saia de uma postura comando e controle para uma liderança humanizada, com proximidade do time, de maneira horizontal. Quando um líder ouve e conhece o profissional, juntos conseguem definir o papel mais adequado para o mesmo, de acordo com o seu propósito e perfil. Assim ele trabalha com prazer e alcança um melhor desempenho. Por isso, muitos recrutadores, além de avaliarem as competências técnicas de um candidato, também avaliam o seu comportamento, em busca de um membro que se encaixe dentro de uma determinada equipe.

Aquele modelo convencional, onde existe um alto índice de competição é também ultrapassado. Migrar da competitividade destrutiva, dos modelos de gestão por conflito, para uma liderança humanizada é o caminho. Nesse sentido, contribuir para a construção de um ambiente colaborativo deve ser o papel de todos, líderes e liderados, pessoas que constroem as empresas.

Já passou a época em que uma pessoa que ocupava um cargo mais alto em uma determinada empresa tratava o funcionário com superioridade. Hoje, os “chefes” que seguem um modelo de gestão antigo e “engessado” estão com os dias contados. Um mapeamento com 1.115 empresas no país, realizado pela USP junto com o Instituto Capitalismo Consciente, mostra que corporações que investem no bem-estar dos colaboradores criam um vínculo maior com os funcionários e clientes, o que impacta positivamente nos resultados.

Para que ocorram essas mudanças, a primeira transformação deve acontecer no mindset, ou seja, na forma de pensar dos profissionais, pois nosso pensamento interfere em nossas emoções, que por sua vez vai determinar as ações, o que levará aos resultados.

Adotar essas práticas representa o cuidado com as pessoas da equipe, por parte delas mesmas e empresas, caminho para os resultados acontecerem. Comece já, cuidando de você ao adotar esse mindset e desenvolver essas novas habilidades. Seja o protagonista de sua carreira, passando pela vida e construindo a sua trajetória, em vez de deixar a sua vida passar. A hora é agora!!

Quer aprofundar mais sobre esse tema? Leia o best-seller “O Poder da Simplicidade no Mundo Ágil” de minha autoria.

Abraços afetuosos,

Susanne

Susanne Anjos Andrade tem paixão por pessoas e por ajuda-las a se desenvolverem. É especialista em desenvolvimento humano e autora dos best-sellers “O Poder da Simplicidade no Mundo Ágil” (Editora Gente), “O Segredo do Sucesso é Ser Humano”, e do livro digital “A Magia da Simplicidade”. É coach, palestrante e professora de cursos de MBA pela FIAP Centro Universitário, em disciplinas sobre carreira, coaching, liderança e gestão da mudança para a transformação digital. Também é sócia-diretora da A&B Consultoria e Desenvolvimento Humano, empresa que criou o “Modelo Ágil Comportamental”.  Voluntária no Grathi. Responsável pelo “Canal Humaniza-TI” do youtube. Colunista no “Portal IT Forum 365, na coluna Desenvolvimento Humano 4.0” e no “Portal Catho Carreira & Sucesso”. 

Deixe um comentário